Início > Uncategorized > Johnny Yuma

Johnny Yuma

Nós os admiradores do Western Spaghetti jamais iremos cansar de nos queixar da injustiça com que esse gênero é tratado. Com relação à crítica, só a burrice pode explicar por que certos exemplares do Spaghetti ficaram relegados ao menosprezo; quanto ao público prefiro apostar na desinformação mesmo. Tomo como exemplo esse “Johnny Yuma, O vingador” (Johnny Yumma, ITA, 1966).

Desde as primeiras sequências fica evidente que estamos diante de um Spaghetti muitíssimo bem elaborado em todos os sentidos. Começando pela trama, um pouco insólita para esse tipo de filme, pois apresenta uma perfeita mulher fatal, típica dos filmes noir. Usando e abusando de seu grande poder de sedução e beleza ela não medirá esforços para impedir o sobrinho do marido, cujo assassinato ela tramou com o irmão, de assumir o controle da fazenda e da riqueza que possui – já que não tiveram filhos e o sobrinho é o único herdeiro. O sobrinho é justamente o nosso herói, Johnny Yuma, o típico cavaleiro solitário dos westerns. Com a entrada em cena do ex-amante da viúva negra, que retorna a pedido desta para despachar nosso herói, temos pronto um Imbroglio dos mais promissores.

Ademais, é impossível deixar de enaltecer duas brilhantes qualidades de “Johnny Yuma, O vingador“. Primeiro, a direção absolutamente precisa de Romulo Guerrieri. Essa foi a grande surpresa pra mim! Será que os outros filmes dele possuem essa qualidade evidente na composição de cena, nos enquadramentos? Digo sem exagero que é coisa de mestre. Muitas vezes a genialidade está na simplicidade. “Johnny Yuma” é uma inequívoca aula de como se narrar por meio de imagens. Coisa que poucos sabem fazer, vamos dizer a verdade. Guerrieri tem o tempo preciso de cada tomada, o equilíbrio certo da cenografia, uma direção muito elegante em vários momentos. A sequência de imagens, do começo ao fim, fluem muito agradavelmente diante de nossos olhos. E, completando, não lembro de ter visto um Spaghetti com certa preocupação harmônica relativa às cores. Deve ter aqui influência do Douglas Sirk! São detalhes, no fim das contas. Mas que sem dúvida servem para enriquecer ainda mais esse exemplar imperdível do mais subestimado e genial dos sub-gêneros cinematográficos.

(Ah maldito seja eu se não mencionar a eletrizante atuação dessa maravilhosa Rosalba Neri, como a fatal Samantha! Que mulher é essa!? Portadora de uma beleza selvagem, dura, ostensiva (e nada convencional). Carrega tudo no olhar: a maldade, a determinação, a ironia e a sensualidade. Quem há de resistir?)

A bela e fatal Rosalba Neri. Ah essas mulheres do Spaghetti!

Anúncios
  1. 01/03/2010 às 16:08

    Eu também gosto muito desse filme, e sim, Romolo Guerrieri é mestre, acho inclusive o 10.000 dollari per un massacro superior ao Johnny Yuma! Trata-se talvez do mais belo western romântico da história. Ajuda muito, em ambos os filmes, a trilha sonora matadora de Nora Orlandi.

    • 01/03/2010 às 16:32

      Heim, 10.000 dollari per un massacro é dele?!! Pô vi esse filme ano passado e incluí logo no top 10 dos meus spaghetti! Você tem toda razão, Herax. Rapaz, esse Guerrieri além desses dois tem mais o que digno de nota? Johnny Yuma é ótimo Spaghetti; no entanto “10.000 dollari…” é obra-prima, deu até vontade de rever pra comentar aqui. Tenho a cópia, claro, hehe. Ah, veja se voce concorda com essa enquete? http://chirrimchirriom.blogspot.com/2007/07/os-25-melhores-spaghetti-westerns-de.html

      • 01/03/2010 às 16:56

        Gostei da lista, não concordo 100% e nem com a ordem, mas certamente só tem coisa boa aí. Um dia eu elaboro a minha! Sobre o Guerrieri, infelizmente só vi esses 2 westerns, mas ele tem alguns policiais e um giallo que também devem ser coisa fina!!

  2. 01/03/2010 às 16:09

    Ops, esqueci de comentar que acho gozado o fato de tanto o Guerrieri quanto o Castellari serem muito mais talentosos que o patriarca da familia Marino Girolami.

  3. 01/03/2010 às 16:21

    Esse eu não vi, por isso faço a única consideração possível depois de ler seu texto: vou correr atrás disso! Hehehe. Um abração.

    • 01/03/2010 às 16:35

      Ah, então aproveita e inclui no pacote o citado pelo Herax: “10.000 dolarri per un massacro” (10.000 dólares para Django), hehe. Obra-prima, sim, caro Blob. Obra-prima.

  4. 01/03/2010 às 16:45

    Pois é o “10.000 dollari per un massacro” tá na minha lista de procura faz horas… eu tenho aqui o ótimo “Promessa de Sangue” (100.000 dollari ti ammazzo) de Giovani Fago, que além de ter sido feito no mesmo ano que “10.000…” tinha o mesmo astro, Gianni Garko, e boa parte da equipe técnica, incluindo a Nora Orlandi na trilha sonora. Abraços!

    • 01/03/2010 às 16:57

      é que ambos foram produzidos pelos Martino Brothers!

  5. 01/03/2010 às 19:33

    Curiosamente do Romolo Guerrieri só conheço mesmo o “10.000 dollari per un massacro”. A conferir este um dia destes…

  6. 01/03/2010 às 21:41

    Também só conheço 10.000 dollari per un massacro… até cheguei a escrever sobre ele aqui: http://demmentia13.blogspot.com/2009/04/10000-dolares-para-django-10000-dollari.html

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: